16.7 C
Dourados
quarta-feira, dezembro 1, 2021

Vander Loubet é o parlamentar que mais traz recursos para o MS

- Publicidade -

De acordo com o Siga Brasil, portal do Senado que monitora a execução do orçamento público federal, o deputado federal Vander Loubet (PT-MS) segue como o parlamentar de Mato Grosso do Sul com o melhor desempenho na conquista de recursos para o Estado e os municípios por meio de emendas parlamentares individuais.

O portal analisa as emendas apresentadas e executadas desde janeiro de 2015. Até 24 de novembro deste ano, Vander já assegurou R$ 71,9 milhões em recursos.

Para o deputado pantaneiro, o êxito nesse recorte da atividade parlamentar se deve a fatores como: trabalho de sua equipe (que considera uma das mais qualificadas na área de orçamento público), experiência acumulada na vida pública, credibilidade para construir pontes de articulação e consciência para não permitir que questões ideológicas ou partidárias atravessem o caminho.

“Há cinco mandatos estou passando por governos de ideologias diferentes. No Estado, depois do Zeca do PT, convivi com o André Puccinelli por oito anos e há sete convivo com o Reinaldo Azambuja. Na Presidência, peguei os governos de Lula e Dilma [do PT], do Temer [do MDB] e agora do Bolsonaro [sem partido]. E continuo com os mesmos ideais, a mesma concepção programática e as mesmas lutas que abracei ainda na juventude”, destaca Vander Loubet.

De acordo com o parlamentar, todas as emendas incorporam reivindicações da sociedade e representam um reforço extra e providencial ao caixa do Estado e, sobretudo, dos municípios – os mais afetados pelas crises. “Tenho e preservo sempre uma boa relação com prefeitos, vereadores e demais lideranças municipais, que servem de termômetro das carências da população e são quem fornecem para nós, parlamentares, as prioridades na apresentação das emendas”, comenta.

O deputado finaliza explicando que dá prioridade na busca de recursos que beneficiam as comunidades naquilo que mais necessitam no cotidiano: saúde, saneamento básico, educação, infraestrutura urbana, esporte e lazer, habitação, assistência social e agricultura familiar. “Essas áreas são sensíveis às famílias com menor nível de renda, que são justamente aquelas que precisam de um olhar diferenciado por parte do poder público”, conclui Vander.(MS Notícias)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Últimas Notícias

- Publicidade-