29.4 C
Dourados
terça-feira, novembro 30, 2021

Entrevistas

Amazônia não está sendo gerida, está sendo destruída, diz eurodeputada

Aumento de desmatamento preocupa parlamentar que considera prioridade acordo comercial entre Mercosul e União Europeia

Guru de Moro, Pastore vê Brasil em ‘presidencialismo de cooptação’

Economista diz que não será ministro e que combate à pobreza e equilíbrio fiscal são prioridades

‘Mudanças em Cuba são imparáveis’, diz líder de manifestação por mais liberdade na ilha

Em ação inédita, o grupo pediu autorização em várias províncias para a realização de um protesto, inicialmente marcado para 20 de novembro, com base em um artigo da Constituição, em um país onde a oposição não é tolerada

‘Desinformação cerceia o direito do eleitor’, diz Fachin, próximo presidente do TSE

Próximo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cujo comando assume em fevereiro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin diz que a...

É difícil terceira via ter unidade para 2022, avalia Pedro Simon

Senador por mais de três décadas, até decidir se aposentar da carreira política em 2014, Pedro Simon, hoje com 91 anos, se diz 'angustiado' com a 'radicalização' no cenário eleitoral, representada, na sua avaliação, pelas candidaturas do presidente Jair Bolsonaro e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em entrevista ao jornal O Globo, o experiente ex-parlamentar classifica como difícil uma articulação que garanta a unidade da chamada terceira via, campo que reúne partidos de centro e se coloca como alternativa à polarização.

‘Quero ajudar a matar a morte’, diz o historiador Boris Fausto, sobre o voto, aos 91 anos

Resultado de luto íntimo — a morte do irmão, o filósofo Ruy Fausto, em maio de 2020, pela Covid-19 — e público — a tragédia nacional da pandemia — 'Vida, morte e outros detalhes' é um pequeno grande livro de memórias. Nele, um dos mais importantes intelectuais públicos do país, o historiador e cientista político Boris Fausto, volta à infância na São Paulo dos anos 1930, revisita querelas e comunhões com os irmãos mais novos (o caçula, o médico Nelson, morreu em 2012) e reflete sobre a (in)finitude humana e avanços e atrasos da nossa sociedade.

“Vamos colocar a terceira via no segundo turno”

Concorrente na disputa interna do PSDB que vai definir o candidato tucano na corrida pelo Planalto, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, assegura que haverá representante da terceira via no segundo turno das eleições de 2022. Embora o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) liderem as pesquisas de intenção de voto com ampla vantagem, o gestor gaúcho acredita que os altos índices de rejeição de ambos farão com que um deles não avance à rodada final de votação. 'Isso (a rejeição) vai, no momento apropriado, fazer com que a população esteja aberta a procurar alternativas. Vamos colocar a terceira via no segundo turno', garantiu, em entrevista ao jornal Estado de Minas. Nas prévias do PSDB, o governador de São Paulo, João Doria, é o principal oponente. Arthur Virgílio, ex-prefeito de Manaus, também concorre. A eleição será em 21 de novembro.

‘Desinformação ainda é uma preocupação grande’, diz Luís Roberto Barroso em entrevista

No centro das críticas da militância bolsonarista, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, busca ampliar as condições de transparência e segurança do sistema de votação para as eleições que prometem ser as mais polarizadas desde a redemocratização e que acontecerão daqui a exatamente um ano, em 4 de outubro de 2022, com a participação de mais de 150 milhões de brasileiros. Em entrevista ao jornal O Globo, ele afirma que a defesa da integridade das urnas e mecanismos de enfrentamento da desinformação são temas centrais para este ano.

“O machismo é suprapartidário”

Recém filiada ao Partido Socialista Brasileiro, a deputada federal Tabata Amaral acredita que a democracia brasileira só alcançará um grau de maturidade quando divergências políticas não se traduzirem em manifestações de ódio e violência, e no momento que mulheres se sentirem seguras para expressar suas ideias. Desde que chegou ao Congresso Nacional, Tabata Amaral é alvo de ofensas, provocações e ameaças não somente em razão das convicções políticas. 'Incomodo muito por ser uma mulher jovem', afirma a parlamentar. Recentemente, Tabata foi alvo da violência do ator José de Abreu, que endossou nas redes sociais um post de um internauta que gostaria de socar a deputada 'até ser preso'.

‘Qualquer um que ganhar vai pegar o país em frangalhos’, diz Alfredo Setubal, acionista do Itaú

O vencedor das próximas eleições, seja lá quem for, 'pegará o país em frangalhos', assombrado por baixo crescimento, inflação elevada e crise hídrica, lamenta Alfredo Setubal. Para o presidente da Itaúsa — holding que investe principalmente no Itaú, mas tem participação em empresas como Alpargatas e Dexco —, o país precisa aprovar as reformas administrativa e tributária ainda este ano, e o Banco Central está certo em elevar juros.

“Impeachment não é solução para crise”, diz Michel Temer

14/09/2021 - 08h47Com a experiência de quem já esteve à frente da Nação e viveu a pressão de ver protocolados vários pedidos para que...

Nenhum lado aprende que é um jogo repetitivo, e Bolsonaro voltará a radicalizar, diz cientista política

13/09/2021 - 07h57Para Daniela Campello, presidente ainda tem grupo de eleitores grande para perder, e atos da oposição não mudam cenário políticoA moderação do...

Para Armínio Fraga, Bolsonaro é fera ferida e não vai parar

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é uma ‘'fera ferida' e 'acuada' diante de seus baixos índices de aprovação e deve tornar constantes os ataques à democracia, como os do 7 de Setembro. Na opinião do ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga, esse comportamento deve afetar a recuperação da economia, retraindo investidores, elevando as taxas de juros e pressionando o dólar e a inflação.

Senadora Simone Tebet indica que indícios de rachadinha pode dar CPI

08/09/2021 - 09h17De acordo com a parlamentar, indícios levantados pela comissão de inquérito foram bem além das omissões e erros cometidos pelo governo federal...

‘Sensação é que não há ninguém no leme, o país está meio à deriva’, diz Elena Landau

02/09/2021 - 08h15Ex-executiva da Eletrobras, economista avalia que governo demorou a agir, e país enfrenta risco de apagõesElena Landau, economista que foi presidente do...

“Entre Lula e Bolsonaro, acredito que Lula seja melhor”, diz FHC

Fernando Henrique Cardoso está no rol dos políticos longevos que mantêm sua influência. Uma voz ouvida com frequência, que reverbera além das ideologias e dos jogos políticos. Moderado e honesto em suas colocações, o ex-presidente não se exaspera com os atos do governo Bolsonaro, mas também não se cala. Não acredita que estamos na antessala de um golpe, pois não vê as Forças Armadas como aliadas à ideia de uma ruptura democrática. Também não crê que o impeachment seja solução, defende alternância de poder, descarta seu nome como candidato e gostaria de uma liderança tucana disputando as eleições presidenciais.

“PGR não existe hoje no Brasil”: Gilson Dipp cobra reação de órgão quanto a ataques de Bolsonaro

08/08/2021 - 10h07Jurista considera inaceitável a inação do procurador-geral da República e de outras instituições quanto aos ataques de BolsonaroPara Gilson Dipp, está "péssimo"...

‘Lava Jato achou em mim um Cristo, eles não me largam’, diz Cabral, em entrevista na prisão

06/08/2021 - 07h17Único político ainda preso pela operação, ex-governador do Rio diz querer confessar crimes fora da cadeia; condenações somam 392 anos de penaO...

‘Judiciário não governa, mas impede o desgoverno’, afirma Ayres Brito, ex-presidente do STF

Ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto é contundente ao comentar os ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro contra o sistema eleitoral brasileiro. O descontentamento, primeiro, foi manifestado por escrito e em conjunto. Ele foi um dos 15 ex-presidentes da Corte Eleitoral que assinaram nesta segunda-feira a carta em defesa da confiabilidade do modelo atual. Em entrevista ao jornal O Globo ele faz um apelo em favor do respeito à separação entPe os poderes, diz que jamais viu conduta tão agressiva quanto a do atual titular do Palácio do Planalto e classificou ditaduras como 'barbáries'.

Semipresidencialismo no Brasil é um salto no escuro, diz Joaquim Barbosa

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa quebrou um silêncio de quatro anos sem dar entrevistas para conversar com a coluna sobre a possibilidade de adoção do semipresidencialismo no Brasil. Ele vem acompanhando o debate com preocupação e contrariedade. Acredita que mudar o regime de governo para combater crises é uma 'aventura' e que os paralelos feitos com o sistema francês não fazem sentido no Brasil. Lá, afirma ele, o semipresidencialismo foi adotado para corrigir um sistema parlamentarista que era uma 'balbúrdia'.
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -