20.7 C
Dourados
sábado, maio 18, 2024

Pré-candidatos de Dourados usam tragédia gaúcha para ganhar visibilidade eleitoral

Coluna traz também a frustração dos bolsonaristas pelo cancelamento da agenda do ex-presidente a Dourados

- Publicidade -

No melhor estilo Michelle Bolsonaro, tanto no conteúdo como na forma, a advogada Gianne Nogueira aproveitou a tragédia do Rio Grande do Sul para mostrar a cara aos eleitores douradenses. Nas redes sociais, criticou as “cenas reprováveis” do show de Madonna no Rio de Janeiro, cujo cachê, segundo ela, foi pago com dinheiro público; dinheiro que ela também entende que poderia estar sendo usado para ajudar as vítimas das enchentes no Sul do país. Alan Guedes, Barbosinha, Marçal Filho e Tiago Botelho que se cuidem. A moça, até então desconhecida, parece que tem futuro, em que pese o fato de – embora cristã, como fez questão de frisar – ter se aproveitado de uma catástrofe sem precedentes para sinalizar as pretensões políticas do marido, o deputado Rodolfo Gordinho do Bolsonaro Nogueira.

Bolsonarista pinóquia – Descolado, mas já escolado na política, o também pré-candidato Tiago Botelho, petista amigo do Lula, não perdeu tempo, nas mesmas redes sociais, para fazer o contraponto a Gianne Nogueira. Preocupado com a viralização, até porque ninguém, entre os políticos locais, entende melhor de likes do que ele, Botelho ameaçou processar a “queridona bolsonarista”, a quem chamou também de “mentirosa contumaz”.

Perguntar não ofende – Sem se esquecer do preceito bíblico segundo o qual, quando se trata de caridade, “que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita”, será que a direitista Gianne Nogueira e o esquerdista Tiago Botelho já fizeram pelo menos um pix para as entidades que estão recolhendo donativos para os desabrigados do Rio Grande do Sul?

MT/MS – Nessa mesma linha, mas a propósito da já “eterna” polêmica do Mato Grosso “do Suuuuullll”, o repórter Honório Jacometo, que andou por Dourados e hoje trabalha na rede Globo, em Goiânia, perdeu a oportunidade de fazer justiça com os heróis do MS que atuam na tragédia gaúcha. É que ele creditou aos não menos heróis do MT o resgate de um menino, içado por uma corda, pela equipe de salvamento de um helicóptero enviado pelo governo do Mato Grosso do Sul.

O pix de Simone Tebet – A propósito da ajuda do governo Lula ao povo gaúcho, a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, garantiu ontem que que não vai faltar dinheiro para a reconstrução do estado, mas que isso acontecerá na hora certa. Segundo ela, tanto o governador Eduardo Leite como os prefeitos estão esperando as águas abaixarem para calcularem os prejuízos. A ministra lembrou que esse socorro levará em conta a gravidade da situação, da mesma forma como aconteceu com o “estado de guerra” decretado no período da Covid-19.

Saudosismo – Enquanto aguarda o momento certo para anunciar sua desistência à disputa da prefeitura de Campo Grande o ex-governador André Puccinelli vai criando suspense nas redes sociais, mas sem deixar de relembrar a quanto fez pela cidade em dezesseis anos, primeiro como prefeito, depois como governador do estado.  A última delas, posando ao lado de sua indefectível “Ferrari” (um Fiat vermelho já fora de linha), dizendo que o carro já está revisado para percorrer os bairros de Campo Grande. Resta saber se para dar carona à ex-deputada Rose Modesto ou ao deputado Beto Pereira.

Sinalização – Enquanto André Puccinelli se diverte com a “desgraça” alheia (as eleições em Campo Grande, claro, não a tragédia no estado onde se criou) a deputada Rose Modesto começa a assustar o establishment. A última dela, a informação de que seu provável candidato a vice-prefeito pode ser o filho do próprio Puccinelli, do mesmo MDB, do pai, ou o secretário estadual de Desenvolvimento, Jaime Verruck, do PSD de Barbosinha.

O Conquistador – Nesses tempos em que deputados e senadores não passam de meros caixeiros-viajantes (De Ruy Barbosa a Ramez Tebet e Ivo Cersósimo, passando por Ulysses Guimarães, Theotônio Vilela, Pedro Simon e Paulo Brossard, entre tantos outros grandes oradores que devem estar se revirando nos sepulcros), o senador Nelsinho Trad bem que poderia ser condecorado como “o grande conquistador”. De recursos, evidente. De dez releases distribuídos pela assessoria do filho do também notável discursador Nelsão Trad, nove falam só dos milhõe$ por ele “conquistados” para os municípios do Mato Grosso do Sul. Um perigo, nesses tempos dos tão questionáveis e condenáveis retornos. Ops!

Frustração – O bolsonarismo douradense vive seus momentos de desalento. Depois de uma erisipela que levou o ex-presidente Jair Bolsonaro a duas internações em Manaus, agora, com uma infecção intestinal, Bolsonaro está internado em São Paulo. Com isso, está cancelada a agenda que ele cumpriria em Dourados, semana que vem.    

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Últimas Notícias

- Publicidade-